O estatuto do idoso estabelece no seu artigo 20 que a pessoa idosa tem direto a educação, cultura, esporte, lazer, diversões, produtos e serviços que respeitem sua particular condição de idade (BRASIL, 2007). Buscando assegurar esses direitos, muitas são as iniciativas de inclusão cultural para esse público que promovem a socialização, a aprendizagem e o combate à ociosidade.

Dentre as atividades de inclusão cultural do idoso desenvolvidas na cidade de Fortaleza, são listadas a seguir quatro propostas que trabalham com diferentes práticas artísticas:

Grupo viva a vida – dança

A iniciativa do grupo Viva a vida tem o objetivo de oferecer cursos de dança para idosos, buscando preservar a sua memória e a sua identidade cultural. A prática de dança fortalece a autoestima do idoso, bem como o condicionamento físico e mental.

Coral vozes de outono – música

Grupo independente formado por mulheres da terceira idade. A iniciativa tem como objetivo a busca pela qualidade de vida por meio da prática de canto coral. Além de promover a inclusão social das participantes por meio do trabalho artístico lúdico, o grupo participa ativamente de eventos locais.

Atividade auto expressiva para a pessoa idosa – teatro

Idealizadas pelo projeto Idoso amado, as atividades auto expressivas para a pessoa idosa têm a finalidade de promover oficinas de artes cênicas para a terceira idade com aulas sobre história da arte e teatro, bem como a realização de visitas aos centros culturais de Fortaleza e Maracanaú. A iniciativa capacita os idosos em artes teatrais a fim de que sejam protagonistas de uma nova produção artística e cultural.

Atividade laborativa para o idoso – artesanato

Desenvolvida pelo projeto Idoso amado, essa iniciativa promove atividades voltadas para o público idoso por meio da oferta de oficinas temáticas de artesanato com materiais recicláveis, bordados, costuras, crochê, bijuterias, customização, patchwork, bonecas de pano, trabalhos em madeira, palhas e serragem, resgatando as práticas tradicionais da cultura regional. Além de combater a ociosidade do idoso, as oficinas ofertadas dão possibilidades para a (re)inserção do mesmo no mercado de trabalho a partir da valorização e do reconhecimento das suas potencialidades criativas.